terça-feira, 21 de maio de 2019

[Opinião] 

Wallace Vianna é webdesigner e desenvolvedor web.

O Gutenberg, a nova interface visual de desenvolvimento de páginas para o WP/Wordpress, pode ser o futuro do WP, mas não é o presente.

Motivo: muitos plugins (extensões de funcionalidades) para o WP não foram feitos para funcionar dentro do Gutenberg, ficando ocultos ou em lugares de difícil acesso nessa interface.
Isso vai determinar em muito o tempo que o Gutenberg vai levar para ser adotado pelo mercado.

Mas esse pecado não é exclusivo do Wordpress.




segunda-feira, 6 de maio de 2019

painel eletrônico

[Opinião]

Wallace Vianna é webdesigner e desenvolvedor web

Imagem: blogpaineis.com.br


Tinha horario agendado numa repartição pública. O agendamento pos sí só era parte de uma estratégia da repartição para definir quantas pessoas seriam atendidas no dia, por estimativa de tempo (evitando o comércio de lugar na fila). 
O famigerado painel eletrônico estava lá; só que os números não eram sequenciais, o que em tese impedia de alguém pegar duas senhas ou sair e voltar mais tarde (atrasando o atendimento).

Até aí tudo bem; o painel era bem feitinho, o atendimento por prioridade tinha colorido diferente, um som era tocado a cada nova chamada e repetido 3 vezes, etc. Mas nem tudo são flores.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Hospedagem Cloud

[Opinião]

Wallace Vianna é webdesigner e desenvolvedor Web

Imagem: Freepik.com/Raw Pixel


Cenário:
O mercado de hospedagem cloud (na nuvem) chegou a um ponto de equilíbrio entre oferta e informação de serviços. No início havia uma falsa ideia de que hospedagem cloud era mais vantajosa que a hospedagem tradicional, pois o cliente pagaria pelo tanto de acesso que ele usasse - e a hospedagem pelo tanto que oferecesse. 

quarta-feira, 3 de abril de 2019

O fim do Google Plus e redes sociais que não deram certo

[Opinião]

Wallace Vianna é designer e desenvolvedor web

O Google+ (ou Google Plus) encerrou suas atividades para o público em geral no ultimo dia 31 de março. Mas continua para o uso corporativo (ou usuários do Google suite).

O Google Plus veio para tentar ser uma segunda opção ao Facebook, que engoliu o Orkut na preferência dos internautas de rede social. O sucesso foi tal que o Facebook hoje corre o risco de ser desmembrado em varias empresas separadas para evitar monopólio, semelhante a um processo que quase atingiu a Microsoft com o Windows. O gigantismo do Facebook realmente impressiona: 2 em cada 7 pessoas no mundo estão nessa rede social. Mas o Google Plus, assim como o Orkut, tentou fazer por onde para ser ao menos o segundo lugar.

Imagem: oficina da net

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Tecnologia Humana

[Opinião]

Wallace Vianna é designer (webdesigner, desenvolvedor web)

Vivemos uma era onde a tecnologia é celebrada, endeusada e vendida como a solução de todos os nossos problemas.
Mas as pessoas esquecem que a tecnologia é usada por pessoas, para atingir um objetivo, que é trazer benefícios... para as pessoas.

É facil concluir então que as pessoas são o foco de tudo que fazemos ou construímos - a tecnologia inclusa.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Slow (ou low) tech: tecnologia lenta.

[Opinião]

Parece que a humanidade (no sentido mais amplo da palavra) acordou para o fato de que está virando vítima da tecnologia, em vez de senhor dela, como se fosse a criadora de um novo tipo de Frankestein (ou Matrix?).

A palavra de ordem é slow. Lento.

Slow food, slow fashion, slow technology. A comida, moda, tecnologia (e praticamente todos os ramos da vida atual) agora tem a proposta de serem "lentos" ou sustentáveis, em contraponto a uma sociedade que vive na velocidade de um video-clipe musical.



Imagens: freepik.com



sábado, 17 de março de 2018

Porque o Windows tem de mudar, urgente

Outro dia fui instalar contas de e-mail em programa cliente, num computador com Windows 10.
O programa de e-mail disponível era gratuito, da Windows Store.
Só era possível configurar contas do Outlook.com (antigo Hotmail.com).

Usei um programa de e-mail gratuito, software livre, sem problemas.
No fim, tive de usar o Outlook do MS Office (programa pago), para a coisa funcionar.

Ou a Microsoft repensa seu modelo de negócios sobre programas pagos, livres e gratuitos ou no futuro o Windows vai ser como o Macintosh hoje, no market share de micros de mesa; e o Android vai se tornar o novo Windows.

Abaixo, na captura de tela estou acessando a web (mas pro Windows, ainda não).


Correção: na verdade o Windows leva tempo demais pra informar a conexão com a internet.